Conheça 12 motivos que fazem da FIFA umas das piores corporações do mundo

Você sabia que, para ser país-sede, o Brasil teve de assinar um termo no qual se compromete a mudar tudo o que for necessário em sua Constituição para se adequar à FIFA?

A FIFA, uma corporação internacional com sede na Suíça, organiza o seu mundial de futebol e faz uma série de exigências para os Países Sedes que desejam receber seus megaeventos. As exigências da FIFA para a realização da Copa roubam nossos direitos!

Veja 12 motivos que fazem da FIFA umas das piores corporações do mundo:

1.    a FIFA só beneficia grandes empresas

Ao contrário do que dizem suas propagandas, a FIFA não tem nenhuma intenção de permitir que pequenas empresas, negócios familiares e trabalhadores independentes se beneficiem das oportunidades emergentes durante o torneio. Durante o Mundial, só pode trabalhar e vender quem tem parceria com a FIFA: Coca-Cola, Mc Donalds, Johnson & Johnson, Adidas, entre outras grandes empresas.

2.    a FIFA não respeita a nossa cultura

Até os símbolos nacionais, culturais e de nossa seleção ficam nas mãos da FIFA e suas parceiras para explorações comerciais. Qualquer um que utilizar, com fins comerciais, os termos “Mundial”, “Copa”, “Brasil”, “Canarinho”, entre tantos outros, pode ser multado e até preso. Até nos tornarmos o País-Sede da FIFA, isso não era crime.

3.    a FIFA não respeita nossos direitos e Constituição

Uma série de novos crimes foram instituídos para recebermos o Mundial: o tipo penal de “terrorismo”, com pena de até 30 anos de reclusão, que lembra os períodos ditatoriais está em trâmite. Entrar em greve também não será permitido durante a Copa.

As garantias da FIFA levaram, até mesmo, a criação de tribunais especiais com procedimentos de urgência de julgamento. É uma espécie de “estado de emergência”, tão semelhante ao existente em governos autoritários, exigido pela entidade.  Será esse o Padrão FIFA?

4.    a FIFA não gosta de democracia

Não à toa, em abril de 2013, o secretário geral da FIFA, Jérome Valcke, afirmou para a imprensa que “menos democracia às vezes é melhor para organizar uma Copa do Mundo”. Investigações do jornalista Andrew Jennings mostram que a FIFA tem o hábito de fazer negócios com governos ditatoriais mundo afora, participando até mesmo de eleições fraudulentas.

5.    A FIFA usa trabalho escravo

O desrespeito aos direitos da entidade chega a tal ponto que fábricas com péssimas condições de trabalho são responsáveis pela produção oficial de suas mercadorias vendidas durante os Mundiais. O “Fuleco”, assim como o mascote da Copa da África do Sul em 2010, está sendo produzido, em larga escala, pelas mãos de milhares de chineses em situação análoga à escravidão.

6.    a FIFA não respeita o torcedor e elitiza os estádios

Mas as violações de direto com as exigências da FIFA vão bem mais longe e atingem nosso direito de torcer. Pelo caderno de exigências FIFA não poderemos assistir aos jogos em bares ou praças. Até mesmo os estádios devem seguir o modelo de Arena, que implica em aumento no preço dos ingressos e novas restrições aos torcedores.

7. A FIFA fala de esporte, mas trata de negócios

A FIFA é uma associação sem fins lucrativos que ganha cerca de 100 milhões de dólares por ano. Ao organizar mega-eventos de futebol ao redor do mundo, a FIFA consegue garantir novos negócios para si e suas empresas parceiras. Apenas na Copa de 2014, estima-se que a entidade terá 10 bilhões de lucro.

8. a FIFA se recusa a pagar impostos nacionais

Entre as exigências para um país se tornar sede de um de seus eventos, a FIFA inclui a isenção fiscal completa para si e suas empresas parceiras. Isso significa que a entidade e suas parceiras comerciais, como Coca-Cola e Mc Donald’s, não irão pagar os impostos previstos pelas leis brasileiras sejam essas municipais, estaduais ou federais. Estima-se que isso irá custar, aos cofres brasileiros, 1 bilhão de reais.

9 – a FIFA é racista

Em 2011, quando indagado sobre casos recentes de racismo entre jogadores em partidas oficiais, o presidente da FIFA disse à imprensa que não há racismo em campo, que “tudo pode ser resolvido com um aperto de mão no final do jogo” e que aqueles que acharam que haviam sido insultados de forma racista deveriam lembrar que tudo não passa de um jogo.

10 – a FIFA é machista

Em 2004, o presidente da FIFA disse que “deveríamos deixar as mulheres jogarem em roupas mais femininas, como no vôlei. Elas deveriam, por exemplo, jogar com shorts mais apertados. As jogadoras femininas são bonitas, me desculpem a sinceridade, e elas já cumprem regras diferentes dos homens – como jogar com uma bola mais leve. Porque não criarmos uma estética mais feminina para as roupas também?”.

11 – a Fifa é homofóbica

Em 2010, o presidente da FIFA respondeu às preocupações de grupos LGBTS respondeu às preocpapções de grupos LGBT sobre a ilegalidade da homossexualidade no Qatar – futura sede da Copa – sugerindo como solução que estes grupos “se furtem de qualquer atividade sexual”.

12 – a Fifa apoia a repressão

Alarmados com as jornadas de junho, a FIFA e seus patrocinadores oficiais exigiram do governo brasileiro garantias de que “tudo o que for preciso”  será feito para que não haja protestos durante o Mondial de 2014. Ao contrário do que podemos imaginar, os “cartolas” da Copa não estavam apenas preocupados com a realização dos jogos, mas com um possível “prejuízo” (ou lucro menor”) de suas empresas parceiras. Exército nas ruas, mais armamentos para as polícias militares, novos batalhões, uso de pessoas infiltradas entre grupos e movimentos sociais, leis contra o terrorismo… tudo deve ser feito para reprimir os protestos!

Foi essa mesma FIFA que apertou as mãos do ditador argentino Rafael Videla na Copa de 1978 na Argentina, quando milhares de pessoas opositoras ao regime estavam sendo executadas e torturadas por seus militares.

Ainda assim, a FIFA continua tentando vender uma imagem de melhorias para o Brasil, mesmo que isso não tenha acontecido nos outros Países Sedes.

“Tirem os ladrões das ruas, dos hotéis, das extravagantes celebrações regadas a champanhe e, principalmente, tirem eles dos futuros elefantes brancos que vão se tornar os estádios.  Forcem o Blatter e a FIFA a deixarem os estádios. Tirem a FIFA da Copa do Mundo. E depois disso? Direcionem sua raiva para reclamar seu país de volta e tirar de cena os seus próprios trapaceiros” (recomendação do jornalista Andrew Jennings à população brasileira).

E agora Blatter, o que vai responder ao povo brasileiro?

E agora Blatter, o que vai responder ao povo brasileiro?

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s